Notícias Fecomercio

26 de março de 2019

Gestão eficiente dos estoques aumenta lucratividade das empresas


Não se trata de ter um volume elevado de produtos disponíveis, mas de saber avaliar a capacidade de comercialização e a necessidade de reposição das mercadorias

É frustrante para consumidores e lojistas quando o produto procurado não está à disposição no estabelecimento. Para reduzir a incidência de potenciais vendas não concretizadas, a empresa deve gerir os estoques de maneira eficiente, o que minimiza eventuais prejuízos e potencializa a lucratividade.
O problema é que não há fórmula pronta quando se trata de gestão de estoques, uma vez que a prática apropriada varia conforme o setor e o ramo de atividade.
O especialista em gestão de estoques da Resulta Consultoria Empresarial, Gabriel Okamoto, sintetiza, no entanto, que a boa administração dos estoques passa pelas capacidades de o empresário entender as vendas do seu negócio e de se relacionar com seus fornecedores. “Geralmente, deve-se fazer um estudo da capacidade de comercialização dos produtos. Assim, o empreendedor consegue saber o volume que precisa manter estocado para suprir a demanda do mês. Também é importante avaliar a capacidade do fornecedor de entregar as mercadorias solicitadas”, indica.
Okamoto recomenda que empresas com ao menos um ano de operação trabalhem os estoques observando a média de vendas – contanto que tenham registros do fluxo de transações para fazer o levantamento. No caso de produtos novos ou empresas em início de operação, a dica é trabalhar com projeções, cujos parâmetros são, respectivamente, as vendas de artigos similares e o desempenho médio do mercado de atuação.
Em geral, as pequenas empresas têm dificuldades de realizar essas tarefas porque não checam o estoque regularmente e, muitas vezes, desconhecem o valor e a validade dos itens armazenados, aponta o sócio-diretor da consultoria Blue Numbers, Márcio Iavelberg.
A assessoria técnica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) fala sobre excesso e escassez: por um lado, manter uma quantidade elevada de mercadorias custa caro; por outro, trabalhar com estoques baixos pode fazer com que, na falta do produto, a loja perca o cliente para a concorrência.
Confira a matéria completa aqui.

Voltar para Notícias